Dicas práticas para a gestão clínica - Medpedia
31

Dicas práticas para a gestão clínica

A gestão clínica refere-se ao conjunto de ações com foco em promover a atenção dada aos pacientes. Para exercer um gerenciamento de qualidade é preciso compreender os processos envolvidos.

Gerir uma clínica médica ou uma instituição de saúde, apesar das particularidades, é como fazer a gestão de uma empresa: requer conhecimento de processos administrativos, financeiros e burocráticos, além do entendimento de tecnologias sanitárias.

Essa concepção de gestão da clínica correlaciona, portanto, administração, cuidado e educação. Quando o objetivo é posicionar uma clínica médica como referência na medicina, a prática diária de gerenciamento é fundamental.

Os processos precisam estar alinhados ao princípio de coletividade, em que todos – médicos, pacientes e colaboradores – se beneficiem. Deste modo, o planejamento de uma gestão clínica começa quando o médico compreende que focar em qualidade de atendimento é melhor que gastar energia em quantidade de consultas. Algumas etapas, quando praticadas, podem garantir o sucesso de uma clínica médica.

Primeiros passos em uma gestão clínica

Para iniciar a gestão clínica, o ideal é definir alguns conceitos norteadores de qualquer instituição:

  • Missão: é o propósito de a empresa existir. Pode ser definida também como a razão de ser. Se uma clínica médica não souber para que ela existe, dificilmente conseguirá definir uma estratégia de crescimento, pois os objetivos não ficam claros.
  • Visão: determina o destino daquela empresa, o lugar em que se deseja chegar. É fundamental que sejam estabelecidos indicadores e metas. Só assim gestores e colaboradores conseguem visualizar pontos de melhorias, caso os objetivos não sejam atingidos.
  • Valores: são os ideais de atitude e comportamento. Essa cultura deve estar presente nas relações entre médicos, pacientes, colaboradores e parceiros.

Na prática, esses três pilares são vitais para o planejamento do negócio e exigem compromisso e disciplina. Mais do que conceitos, eles precisam ser praticados diariamente e fazer parte de toda tomada de decisão dentro da gestão clínica.

Definida a identidade da instituição, o passo seguinte é capacitar e gerir os profissionais de saúde atuantes.

Dicas para a prática da gestão clínica

Quanto mais planejamento se tem dos horários de consultas, cirurgias e exames, maiores são as oportunidades de sucesso. Controlar o fluxo dos processos diários de uma instituição de saúde permite o alinhamento de novos atendimentos e, consequentemente, mais rentabilidade. Mas é preciso gerir o tempo com cautela, para que a atenção dada ao paciente não perca qualidade.

A gestão financeira também deve ser analisada com cuidado. Capacitar os profissionais para liderar as finanças de uma clínica médica é fundamental. O gestor clínico financeiro precisa reconhecer ganhos e prejuízos, saber precificar, aprender a negociar e separar finanças pessoais e da empresa. As novas tecnologias auxiliam no controle de fluxos, seja em estoque ou caixa. Portanto, é possível gerenciar medicamentos, EPIs e outros itens que entram e saem da clínica médica, evitando perdas.

Além disso, conhecer marketing e comunicação facilita a adoção de estratégias essenciais para atrair novos pacientes e, consequentemente, gerar novos ganhos financeiros. O marketing digital também é visto como um aliado, pois aproxima a relação entre o médico e o paciente e posiciona a clínica médica como referência no mercado.

Gestão clínica: momentos para fidelizar os pacientes

A trajetória dos pacientes em clínicas médicas é responsabilidade de uma boa gestão clínica. A experiência vivida por eles deve ser fundamental para que indiquem para outras pessoas ou retornem quando necessário.

Por isso, é importante que, desde a chegada até o momento de deixar a clínica médica, o paciente sinta que suas expectativas foram atendidas. Os principais momentos para estabelecer uma relação de confiança com o paciente são:

  • Busca do profissional: essa etapa começa antes mesmo da consulta. Manter atualizados os canais de comunicação tradicionais e digitais favorece a escolha daquele paciente e permite o conhecimento prévio do médico.
  • Agendamento: profissionais que realizam o atendimento e agendamento de consultas médicas devem agir educadamente. É fundamental que, em qualquer plataforma definida para realizar a marcação de consultas e exames, o paciente tenha uma experiência fácil e sem rodeios.
  • Acessibilidade e estacionamento: muitos consultórios médicos ainda não possuem infraestrutura adequada para receber seus pacientes. Investir em um espaço que comporte e promova uma experiência única é imprescindível.
  • Recepção: principal responsável pela impressão inicial do trabalho realizado pela clínica médica. A recepção deve ser pensada estrategicamente, possibilitando uma experiência diferenciada para o paciente.
  • Atendimento médico: é a conclusão de todo o encantamento. Explicar os detalhes, apontar os possíveis tratamentos, dar atenção e suporte, são essenciais para a fidelização e confiança entre médico e paciente.
  • Pós-atendimento: o acompanhamento médico, mesmo que em curto, médio ou  longo prazo, contribui para o sentimento de proximidade e preocupação com o paciente.

Diferentes processos e etapas são necessários para uma gestão clínica de qualidade. Entender quais as peculiaridades de uma clínica médica, definir estratégias e aprimorar conhecimentos são passos iniciais para o sucesso. Consulte outras dicas e sugestões no nosso conteúdo médico e posicione sua clínica como referência.

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Comentários

Leave a Reply

Posts relacionados

Alterações nos Termos de Uso

Os termos de uso do Medpedia foram alterados. Você pode aceitar ou recusar através do centro de preferências ou através dos botões abaixo. Para continuar utilizando o MedPedia você precisa concordar com os novos termos de uso.